Altar S.Cipriano

Partilhe recomende ou vote neste artigo

Altar de são Cipriano

Altar de são Cipriano e Bruxa Évora

Foto do autentico e verdadeiro altar místico de são Cipriano e Bruxa Èvora ©

O altar de são Cipriano é uma congregação e comunidade religiosa on line de pessoas que partilhando e professando a mesma fé comum na religião da Santeria, assim livremente se associaram on line, ( numa livre associação e comunidade religiosa online, informal e sem personalidade jurídica), para prestar culto aos santos e exercer a sua devoção á obra mística e espiritual de são Cipriano. Por assim ser, o altar de são Cipriano presta os seus atendimentos online, conforme a tradição de atendimento á distancia que foi por são Cipriano ensinada, ( veja: tradição de atendimentos á distancia). Os nossos sacerdotes tem presentemente mais de 1000 seguidores online, e a nossa comunidade religiosa online tem mais de 500 seguidores e fieis.

O altar de são Cipriano possui terreiros de santo privados e fechados – para a execução de trabalhos de são Cipriano – em Setúbal, em Èvora, em Fátima e em Braga – Portugal –  e também tem irmãos – associados na fé –  no Brasil, Angola, Moçambique e Guiana Francesa, onde ali estão fieis da origem crioula e herdeiros da ancestral tradição de são Cipriano que foi levada de Portugal para o Brasil.

O altar místico de são Cipriano é um altar online e privado de culto religioso a são Cipriano e aos seus saberes ocultos, e tem a sua sede oficial em Portugal, na cidade de Setúbal, assim como diversos terreiros de santo fechados – por isso sagrados e ocultos – assentados em locais por natureza apropriados ao ofício de variados tipos de trabalhos de são Cipriano.

Pois por isso, alguns assim perguntam:

Porquê em essa sede aí em Setúbal?

Então:

O antigo e verdadeiro manuscrito de são Cipriano foi encontrado na Torre do Tombo – em Portugal – onde foi parar depois de ter milagrosamente escapado ao fogo das célebres queimas de livros ocultos que a santa Inquisição realizou. Era um livro de feitiçarias e magicas, todo escrito em pergaminho com tinta preta e vermelha, que continha formas mágicas dos Assírios, dos Caldeus, dos Hebreus e dos fenícios.

È nesse livro que se fica sabendo que são Cipriano foi chamado «o feiticeiro da Fenícia» ou «o mago Fenício», pois não apenas são Cipriano era fenício e nasceu na Fenícia, como aprendeu todas as artes da magia fenícia.

Pois então:

Setúbal foi fundada pelos Fenícios cerca de 1.000 a.C., justamente o povo e a civilização na qual são Cipriano nasceu e viveu, e na qual aprendeu todas as suas artes magicas.

Setúbal e muitas das terras á sua volta foram dedicadas a Baal – setu-BAAL –  o Deus venerado pelos fenícios, cujo o panteão de Deuses são Cipriano foi crente e estudioso durante a sua juventude e todo o período pré-conversão.

Então:

Setúbal foi ponto geográfico onde o povo Fenício chegou quando chegou no seu ponto mais ocidental do seu império, e por isso certas lendas dizem que os fenícios tendo estabelecido porto comercial nessa área da península ibérica, então chegando e tendo adorado essa terra assim a batizaram homenageando o seu deus Baal, para sempre a consagrando a Baal e a todo o panteão de Deuses e Deusas Fenícios, que era justamente o panteão de deuses que sao Cipriano – enquanto pagão – venerou, do qual estudou os seus segredos magicos, e através do qual fez as suas famosas bruxariase portentosas feitiçarias.

Não era incomum entre o povo fenício que cidades tivessem nomes associados com oDeus Baal, e um dos muitos exemplos históricos disso ocorre precisamente na Bíblia, (1 Reis 1,2; 5-6), onde se fala de «Belzebu», quando Belzebu na verdade não é um demónio mas sim uma tentativa do povo judaico para demonizar uma cidade chamadaZebub, e que por ser consagrada a uma das manifestações de Baal, então tinha o nome de «Baal- Zebub», que mais tarde acabou virando «Balzebu», e mais depois «Belzebu».

Então:

são Cipriano foi conhecido como «o mago da Fenícia», pois ele foi instruído justamente nas artes magicas dos fenícios, e por isso:

outro lugar não seria tao apropriado senão a terra que foi por Fenícios sagrada e consagrada ao seu Deus Baal e a todo o panteão de Deuses e Deusas fenicios, e que fica justamente no território geográfico onde são Cipriano pisou, se cruzou e se encontrou com a bruxa Évora – aqui na península ibérica, entre Setubal e Évora  – assim como foi a terra onde alguns dos mais famosos escritos de são Cipriano e a bruxa Évora foram encontrados para depois serem depositados na torre do tombo – em lisboa – ,em Roma – no Vaticano – , e na torre de Malta.

Da mesma forma:

Setúbal fica perto de Évora – a 85 Km em linha reta – que é justamente o local onde abruxa de Évora viveu – e onde ainda hoje perdura a existência de um belíssimo templo romano pagão dedicado a uma deusa – ou seja: onde viveu a bruxa de Évora, a maior das feiticeiras do seu tempo, e cujos feitos mágicos perduram ate hoje.

Olha:

Da mesma forma que um cemitério é um local por natureza habitado por espíritos desencarnados, e da mesma forma que uma casa assombrada é uma casa por natureza habitada por assombrações, pois então:

da mesma forma a pratica da magia requer o uso de locais da terra que – por um motivo ou por outro – sejam portas de acesso a forças espirituais, e energias mágicas e a divindades que tenhma ligação com essa terra, e que por isso se faça sentir  manifestar nesse local.

Pois por isso:

Todo o altar de santo e todo o altar de magia deve ser erigido e assentado numa terra que foi dedicada e consagrada a deuses, deusas, espíritos e entidades de magia, pois a terra que for consagrada a essas entidades ao longo dos seculos acaba desenvolvendo fortes conexões espirituais e pontos de energia mágica que potenciam a prática da magia.

Então:

Melhor ainda é, se esse local for ao mesmo tempo não apenas uma terra consagrada a deuses e deusas, como também for a terra onde um santo e uma poderosa bruxa ali pisaram e se cruzaram para juntos conjurarem magias e conjurações mágicas, pois esse local acabará sendo um ponto ideal para o assentamento de altares, terreiros e lugares mágicos.

Olha então a tríade de terras onde são Cipriano e bruxa Évora pisaram:
Serra da Arrábida

Serra da Arrábida – local de magias e pontos mágicos onde o povo fenício desembarcou, e que em antigo dialeto árabe significa «al rabit», ou seja: «local de oração», querendo isso dizer: um «local de espíritos e forças espirituais»,  local de Setúbal, cidade consagrada aos deuses e deusas fenícios. Não foi por acaso que são Cipriano viajou tao longe para vir pisar nessa terra – que ficava no extremo oeste do império Fenício –  e ali viajar a caminho de Évora, onde se encontrou com a bruxa de Évora.
castelo palmela

Castelo de Palmela – castelo dos Templários, onde essa famosa e herética ordem religiosa assentou sede, e onde residiu a ordem religiosa conhecedora dos mais secretos e ocultos segredos mágicos. Não foi por acaso que essa ordem veio assentar sede junto de Setúbal, terra dedicada ao Deus Baal e todo o panteão de deuses e deusas fenícios.

Templo de Diana em Évora

Templo de Diana em Évora – monumento que comprova a forte presença dos deuses e deusas pagãos numa terra onde a mais famosa bruxa pagã viveu, ou seja: a bruxa de Évora.

Então:

Entre Setúbal, Palmela e Évora – entre essa tríade de pontos geográficos – estão tais locais de força magica e magnetismo espiritual.

Então:

 

Por esse motivo o altar de são Cipriano foi assentado onde foi, por esse motivo o altar de são Cipriano está há cerca de uma década edificando com sucesso na obra de são Cipriano.

imagens-altar_sao_Cipriano7

VER IMAGENS DO ALTAR:

Veja aqui imagens do Altar de São Cipriano e Bruxa Évora:

altar de são Cipriano,

altar de bruxa Évora,

terreiro de são Cipriano,

terreiros de são Cipriano ,

terreiro de bruxa Évora,

terreiros de bruxa Évora,

Veja video:

 

altar de são Cipriano, altar de bruxa Évora, terreiro de são Cipriano, terreiros de são Cipriano , terreiro de bruxa Évora, terreiros de bruxa Évora,

amarrações amorosas de são Cipriano?

escreva-nos!

*

Informação legal sobre o altar de são Cipriano:

a)

O altar de são Cipriano é:

uma Associação religiosa online ,( ou comunidade religiosa online), na forma de uma associação de facto –  informal e sem personalidade jurídica – constituída ao abrigo da «Lei de liberdade religiosa» ,( ao abrigo do disposto no “f” do art 8º da Lei n.º 16/2001, de 22 de Junho ), conforme os princípios religiosos de «Manifesto Doutrinário» legalmente reconhecido e registado – conforme constante de registo em Oficio nº 5244-MC ; averb. Reg. Nº 5847

b)

Do ponto de vista religioso, assim se declara:

1

A Umbanda é uma religião juridicamente reconhecida no Brasil, conforme art.º 5º da CRFB, assim como paragrafo 1º do art.º 215 da Constituição Federal, e também Lei nº 12.644 de 16 de Maio 2012.

Da mesma forma:

2

A SANTERIA – ou culto aos santos – é uma religião juridicamente reconhecida nos Estados Unidos conforme jurisprudência do Supremo Tribunal no caso Church of Lukumi Babalu Aye, Inc. v. City of Hialeah, de 1993

Assim sendo:

3

Em Portugal exercemos a SANTERIA – ou o nosso culto religioso aos santos, a Deus e ás divindades – conforme a Lei nº 16/2001 de 22 Junho sobre “liberdade religiosa”.

c)

Pois por isso:

1

O altar de são Cipriano é um «altar» online privado de culto religioso aos santos, e é uma «casa de oração» online privada de «dulia» ou culto pessoal aos santos, fundada conforme estatutos, princípios e mandamentos religiosos constantes de manifesto doutrinário legalmente registado.

2

Toda a actividade religiosa de Altar de São Cipriano é realizada em conformidade no 8º da lei nº 16/2001 de 22 Junho sobre «Direitos individuais de liberdade religiosa».

3

O altar de São Cipriano foi fundado e constituído segundo estatutos inspirados nos postulados do «Manifesto Doutrinário» ©, constante de registo em Oficio nº 5244-MC / averb. Reg. Nº 5847/2009.

4

O altar de são Cipriano é por isso um espaço online privado de culto aos santos, e é uma casa de oração online privada dedicada ao culto pessoal e privado de são Cipriano e santa Maria Madalena.

5

O altar de são Cipriano é uma associação online de natureza religiosa, (constituída ao abrigo do Art 46º da CRP), ou seja: é uma livre associação –  informal e sem personalidade jurídica –  de pessoas que professando crenças religiosas comuns, assim se associaram para prestar culto e exercer em comum a prática da sua devoção religiosa comum.

6

O altar de são Cipriano é norteado por estatutos, fundação e constituição segundo «Manifesto Doutrinário», constante de registo em Oficio nº 5244-MC ; averb. Reg. Nº 5847/2009;

d)

Assim sendo:

1

O altar de são Cipriano não é obra de uma pessoa em particular, mas sim um movimento religioso de todos os irmãos que nela participam,  e que constituem a fraternidade de são Cipriano e santa Maria Madalena, que é uma associação online, informal, sem personalidade juridica, e de natureza religiosa, de irmãos professando a mesma fé, e exercendo em comum uma mesma doutrina religiosa, e exercendo essa celebração de fé sem fins lucrativos, e ao serviço de todos aqueles que se revendo na nossa fé, então nela procuram orientação espiritual.

Todas as informações sobre o altar de são Cipriano e esta casa de oração, podem ser consultas aqui no nosso blog.

Assim sendo:

O altar de são Cipriano não é uma empresa, mas sim é uma associação religiosa online, informal sem personalidade jurídica, ou seja, é um movimento religioso de pessoas que partilhando uma crença religiosa comum, então livremente se associam – sem qualquer espécie de vínculo jurídico, nem de personalidade jurídica, nem de fim lucrativo – a fim de juntos professarem e praticarem as suas crenças espirituais e religiosas.

2

Ao abrigo do «c» do art.º 9º da Lei n.o 16/2001 de 22 de Junho, o altar de são Cipriano reserva-se o direito de manter a identidade dos seus utentes e fieis sob máximo sigilo!, pelo que se cada fiel – de sua livre vontade – desejar publicamenmte expressar a sua crença religiosa, então assim o fará de sua livre vontade!, e porem ministros de culto, ( ou sacerdotes), jamais poderão violar o seu sigilo profissional!, e divulgar sem consentimento as identidades de fieis ou utentes do altar –  nem de assuntos relacionados – e que sejam do seu conhecimento em função do seu ministério.

3

para os termos do Artº 2ª do «d» destes estatutos, assim se declara que ministros de culto serão aqueles que – conforme os princípios desta comunidade religiosa congregada na forma de associação informal e sem personalidade jurídica – sejam por essa comunidade assim reconhecidos, nos termos do 1º e 2º do Artº15 da Lei n.o 16/2001 de 22 de Junho

Altar místico de são Cipriano e bruxa Évora © 

Partilhe recomende ou vote neste artigo